Quarta, 23 de Outubro de 2019.
[02/2011] Brasil e Argentina vão se unir nas vendas de
Após um ano em que o comércio bilateral registrou a cifra recorde de US$ 32,9 bilhões (cerca de R$ 55,93 milhões), Brasil e Argentina se preparam agora para lançar a "segunda etapa" da integração na área econômica.

Isso significa que os dois países vão somar forças inicialmente nas vendas de produtos ligados ao setor de veículos, como autopeças, e posteriormente no setor de linha branca, que inclui eletrodomésticos, como máquinas de lavar e geladeiras e ainda vinhos.

Em entrevista exclusiva concedida por e-mail ao R7, a ministra da Indústria argentina, Débora Giorgi, diz que a ideia é ir além do comércio bilateral, para que "Brasil e Argentina saiam ao mundo para vender, juntos, produtos com valor agregado", ou seja, com produtos mais caros que somente as matérias-primas, como soja e milho.

Isso vai exigir, explica ela, uma crescente integração entre as cadeias produtivas dos dois países, e por isso alguns setores já foram classificados como estratégicos nesse processo. A cadeia produtiva se refere a uma rede de atividades de produção, comércio e serviços, cobrindo todos os estágios até a transformação de matérias-primas em produtos acabados, prontos para serem vendidos no mercado.

- O primeiro grupo inclui petróleo e gás, autopeças, aeronáutica e maquinário agrícola. O segundo abrange os setores de madeira e móveis, linha branca [como geladeiras e demais eletrodomésticos], vinhos e produtos lácteos.

A ideia é que este grupo se reúna periodicamente para definir estratégias de promoção comercial comuns para impulsionar as vendas a outras nações.

Na pauta da visita que a presidente Dilma Rousseff faz a Buenos Aires nesta segunda-feira (31) está a instalação de uma comissão para impulsionar exportações conjuntas.

Leia, a seguir, os principais trechos da entrevista de Débora Giorgi:

R7 - Quais são as perspectivas para o comércio bilateral com o início de um novo governo no Brasil. Acredita que Dilma seguirá dando ênfase à região, como fez o ex- presidente Lula?

Débora Giorgi - As perspectivas são excelentes, estamos em níveis recorde do comércio bilateral entre Argentina e Brasil. Em 2010, tivemos um intercâmbio comercial [vendas entre os dois países] de US$ 32,9 milhões [cerca de R$ 55 milhões]. As exportações [vendas de produtos ao exterior] ao nosso principal sócio comercial também registraram uma cifra histórica, com US$ 14,2 milhões [R$ 24,12 milhões]. Após um dos anos mais extraordinários que tivemos, as presidentes analisarão agora as melhores formas de seguir aprofundando a relação comercial.


Fonte: r7.com...
COPYRIGHT © - RADAR AUTO PEÇAS - 2019 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.